Em cartaz na Pinacoteca do Estado de São Paulo até o dia 6 de setembro, a exposição “Mulheres artistas: as pioneiras (1880-1930)” apresenta a inserção da mulher no sistema artístico brasileiro, dando foco aos processos de formação a que tiveram acesso e sua afirmação como artistas profissionais. A mostra tem entrada a R$ 6 e pode ser conferida de terça a domingo, das 10h às 17h30. Aos sábados a Pinacoteca tem entrada Catraca Livre.

Com curadoria de Ana Paula Simioni e Elaine Dias, a exposição tem obras dispostas em duas salas. Na primeira são ressaltadas as práticas acadêmicas que compuseram as formações artísticas das pintoras, dentre elas os desenhos que mostram um estudo a partir do corpo feminino e masculino entre os séculos 19 e início do 20.

Já na segunda sala serão exibidas as variedades de gêneros artísticos em que as mulheres se dedicaram ao longo do século 19 e início do 20, mostrando o modo como incorporaram e elaboraram as regras, valores e métodos dos meios acadêmicos a que estiveram vinculadas.

Tarsila© Tarsila do Amaral, Estudo de nu, 1921 óleo sobre cartão, 71,7 x 53,3 cm. Acervo Artístico Cultural dos Palácios do Governo, São Paulo. Foto: Rômulo Fialdini

As obras foram pintadas por Tarsila do Amaral (1886-1973), Nicota Bayeux (1870-1923), entre outras, e levam a ideia de oposição aos discursos da época em que viviam. Época essa que restringia as mulheres ao ambiente doméstico.

Com isso, a proposta da exposição é levar o público a tomar contato com artistas e obras que ainda hoje são praticamente desconhecidas, bem como indagar-se sobre as razões de tal desconhecimento e do quanto são devedoras de uma historiografia da arte cujos critérios de inclusão e exclusão são perpassados por questões de gênero e, por conseguinte, de poder.

Fonte: Catraca Livre