Pinturas da artista modernista são retratadas em ‘telas gigantes’ no local. ‘Abaporu’ integra trabalho é do professor de artes Carlos de Paula Leite.

As paredes da Rodoviária de Capivari (SP) se transformaram em “telas gigantes” com reproduções de obras de Tarsila do Amaral, artista do movimento modernista brasileiro que nasceu na cidade. O responsável pelo trabalho é o professor de artes Carlos Adriano de Paula Leite.

Uma das telas reproduzidas é o “Abaporu”. Produzida por Tarsila em 1928, a pintura foi um presente de aniversário ao escritor Oswald de Andrade e que, depois, se tornou obra representativa do movimento Antrofágico, característico pela valorização da arte nacional e “eliminação” de influências europeias.

No saguão de espera da rodoviária, a obra “Idílio”, de 1929, que também é conhecido como Casal de Namorados, está em fase de reprodução pelo professor Leite. A terceira printura, que ainda será retratada no local, é a “Estrada de Ferro Central do Brasil”, de 1924.

Além das obras no Terminal, o professor Carlos já retratou obras da artista Capivariana na sala de espera da Prefeitura e na entrada do Centro de Integração Esportivo Social (Cies), na Estação.

Uma lei municipal de autoria do então vereador Flávio Carvalho, indica a pintura das obras de Tarsila em todas as escolas municipais. Para o prefeito de Capivari, Rodrigo Proença, a iniciativa é um importante reconhecimento da cultura e uma maneira de mantê-la viva. “Tarsila leva o nome da nossa cidade para todo o mundo. Temos que valorizar essa artista que capivariana que nos dá orgulho”, ressaltou.

Museu

A casa onde Tarsila do Amaral nasceu e viveu até 9 anos de idade será transformado em um museu interativo ligado ao modernismo, movimento que influenciou as artes e o design na primeira metade do século 20 e do qual a pintora fez parte.

Texto e fonte: G1
Foto: Thiago Braggion/ Prefeitura de Capivari